LIBERDADE DE EXPRESSÃO.

LIBERDADE DE EXPRESSÃO.
A CULTURA GAY É INTOLERANTE E NÃO CONSEGUE VIVER NA DIVERSIDADE COM RESPEITO

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Eliézer de Mello Silveira denunciou Luiz Mott ao Ministério Público Federal da Bahia: APOLOGIA DE CRIME DE PEDOFILIA. Luiz Motta, professor universitário, líder do movimento gay, petista, esquerdista, marxista e socialista da Universidade Federal da Bahia, agraciado por LULA por medalha, se orgulha de ter tido relações sexuais com mais de 500 homens, deve ir URGENTE PARA CADEIA POR FAZER APOLOGIA A PEDOFILIA. Um abismo chama outro abismo!

Eliézer de Mello Silveira denunciou Luiz Mott ao Ministério Público Federal da Bahia: APOLOGIA DE CRIME DE PEDOFILIA. Luiz Motta, professor universitário, líder do movimento gay, petista, esquerdista, marxista e socialista da Universidade Federal da Bahia, agraciado por LULA por medalha, se orgulha de ter tido relações sexuais com mais de 500 homens, deve ir URGENTE PARA CADEIA POR FAZER APOLOGIA A PEDOFILIA. Um abismo chama outro abismo!

http://luis-cavalcante.blogspot.com/2011/12/eliezer-de-mello-silveira-denunciou.html

sábado, 10 de dezembro de 2011

BRASIL PODE SE TORNAR IMPÉRIO GAY

BRASIL PODE SE TORNAR IMPÉRIO GAY

É o que alerta Magno Malta que enfrentou Marta Suplicy em Brasília

Por: Vinicius Cintra -Redação Creio

Mesmo com adiamento da votação da PL 122/06 que criminaliza a homofobia, o senador Magno Malta, durante audiência pública nesta quinta-feira, dia 08, disse que não vai sossegar enquanto o projeto de Marta Suplicy não for arquivado em definitivo. O parlamentar acredita que o assunto não deve ser tratado de forma isolado.

Na audiência pública, Magno Malta, discursou entre militantes da comunidade gay e a senadora Martha Suplicy relatora do projeto. “O homem pode exigir seus direitos, mas sem cobrar que se criminalize aquele que não concorde com suas idéias. Se a lei for aprovada o Brasil se tornará um império homossexual, onde somente eles vão ter direitos”. Ele foi além e ameaçou caso o projeto fosse aprovado, ele renunciaria ao cargo.

O senador do Espírito Santo comentou sobre um artigo escrito por Marta e distribuído no Senado, onde dizia que homossexuais continuavam sendo mortos por omissão de radicais senadores que fazem de sua plataforma política, uma plataforma religiosa. Magno disse que a senadora petista afirma que a plataforma política é colaboradora com os crimes homofóbicos é também uma forma de intolerância. O senador lembrou que todos que estão na comissão são por que lutaram no combate as drogas, a pedofilia, a pobreza.“Podemos dizer que se os senadores não estivem ‘omisso’ eles não estariam sendo assassinados? Não podemos colocar na conta do parlamento algo que não nos pertence. O Brasil precisa de uma coisa que se chama respeito. Quantos homossexuais não morreram no seu mandato em SP e a culpa é da senhora? Não é. A nação não é homofóbica, mas há sim pessoas que agridem e até matam gays, mas a pessoa que faz isso faz com o aposentado e com qualquer outro”, concluiu Magno.


domingo, 4 de dezembro de 2011

A centro-esquerda do PSDB + O PT + diversos esquerdistas depravados estão unidos para construir um Estado Sodomita e Pederasta, ressuscitando SODOMA E GOMORRA para os nossos dias.

Igreja evangélica na mira da lei anti-“homofobia” do Estado de São Paulo



Igreja evangélica na mira da lei anti-“homofobia” do Estado de São Paulo

Outdoors com versículos sobre homossexualismo mobilizam autoridades contra pastor e sua igreja

Julio Severo
Depois de denúncias de grupos homossexuais contra o conteúdo dos outdoors que reproduzia textos bíblicos sobre o comportamento homossexual, a Secretaria da Justiça e Cidadania do Estado de São Paulo instaurou um processo administrativo para investigar se foi um caso de discriminação sexual, conforme a Folha de S. Paulo.

Lei anti-“homofobia” do PSDB no Estado de São Paulo ameaça igrejas e a Bíblia
O caso aconteceu em agosto, quando a Igreja Evangélica Casa da Oração de Ribeirão Preto pagou para a publicação das seguintes passagens da Bíblia:
“Se também um homem se deitar com outro homem, como se fosse mulher, ambos praticaram coisa abominável.” (Levítico 20:13 RA)
“Por causa disso, os entregou Deus a paixões infames; porque até as mulheres mudaram o modo natural de suas relações íntimas por outro, contrário à natureza; semelhantemente, os homens também, deixando o contacto natural da mulher, se inflamaram mutuamente em sua sensualidade, cometendo torpeza, homens com homens, e recebendo, em si mesmos, a merecida punição do seu erro.” (Romanos 1:26-27 RA)
“Portanto, arrependam-se e voltem para deus, a fim de que ele perdoe os pecados de vocês.” (Atos 3:19 BLH)
O pastor Antônio Hernandes Lopes, responsável pela colocação dos versículos bíblicos nos outdoors, declarou para a Folha de S. Paulo que não teve intenção de ofender ninguém. “Apenas pus a Palavra de Deus que está na Bíblia.” Lopes deixou claro que nada tem contra os homossexuais. “Só não compactuamos com a maneira de se relacionarem”, disse.
Embora o PLC 122 não tenha sido aprovado como lei federal, o governo estadual do PSDB aprovou uma lei anti-“homofobia” no Estado de São Paulo em 2001. A lei foi criada em resposta à reivindicação de dois homossexuais que estavam se beijando em público e se queixaram de pessoas próximas que se sentiram ofendidas. A lei do PSDB foi criada especificamente para proteger manifestações homossexuais públicas.
Agora, a mesma lei do PSDB que protege beijos e obscenidades homossexuais em público quer a censura de versículos bíblicos em público e a perseguição legal de pastores que os divulgam.
Com informações da Folha de S. Paulo via Agência de Notícias da Aids
Artigos relacionados sobre a perseguição à igreja de Ribeirão Preto:
Artigos relacionados sobre as campanhas anti-“homofobia” do PSDB no Estado de São Paulo:

Pastores são algemados e multados depois de pregarem contra o homossexualismo. PORISSO QUE PRECISAMOS DERROTAR OS DEPRAVADOS DA CENTRO-ESQUERDA E ESQUERDA BRASILEIRA.

Pastores são algemados e multados depois de pregarem contra o homossexualismo

Pastores são algemados e multados depois de pregarem contra o homossexualismo

Agora terão de enfrentar tribunal onde juíza é lésbica

Bob Unruh
Dois veteranos pregadores de rua da cidade de Houston estão enfrentando julgamento em tribunal por divulgarem a mensagem da Bíblia acerca da homossexualidade — e outros pecados — numa de suas esquinas favoritas para pregar em Houston.
Que a mensagem era direta é óbvio, a partir de uma foto da situação que se desenrolou para David Stokes do BulldogMinistries.com e Dave Allen do HornofSamuelBook.com:

Pregadores de rua com shofar e cartaz que levaram às multas
O cartaz deles avisa aqueles que são “Beberrões, homossexuais, aborteiros, adúlteros, mentirosos, fornicadores, ladrões, ateus, bruxos, idolatras” de que “o Inferno os aguarda”.
A audiência judicial deles será no Tribunal Municipal de Houston, que é dirigido por Barbara E. Hartle, que, de acordo com o jornal Dallas Voice, está na lista do Fundo de Vitória Gay e Lésbica como “um de nossos poucos membros que está no judiciário do Texas”.
Ela foi nomeada para essa posição por Annise Parker, a prefeita de Houston identificada pelo jornal Los Angeles Times como “a primeira lésbica a chefiar uma grande cidade dos Estados Unidos”.
Allen disse para WND que não importa o que acontecer, o fato de que os pastores foram algemados e multados, com seus cartazes e shofar confiscados por algum tempo, transmitiu um recado assustador sobre a liberdade de expressão com relação à religião e homossexualidade.
Tecnicamente, eles foram multados por terem cartazes que estavam com uma grossura de 1 cm a mais do permitido (eles dizem que os cartazes estavam na medida certa e que haviam sido aprovados de antemão), e por terem um instrumento de expressão que não era de madeira (o shofar deles é de estilo de chifre de carneiro).
Os policiais apareceram depois que alguém aparentemente se queixou dos mensageiros e sua mensagem, mas um vídeo revela que o primeiro policial na cena lhes disse que eles não estavam fazendo nada de errado.
Contudo, alguns minutos depois policiais abordaram os pregadores e ao tudo que indica agarraram uma câmera de vídeo, forçaram os pastores a se deitar no chão e os algemaram.
Essa violência toda ocorreu muito embora Stokes e Allan há anos preguem nesse mesmo local.
Este é o vídeo, em inglês, do que aconteceu: http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=XkDkPwET5dk



A gravação de vídeo mostra que os policiais discutiram a situação uns com os outros, dizendo: “Eles não podem ficar fazendo o que querem por aqui” e “Não há nenhum problema, mas temos de fazer um registro desse cara”.
Há também uma referência a “um jeito de nos livrarmos deles”, que vem junto com uma declaração abafada que parece dizer: “Agarre os cartazes”.
Os pastores relataram numa descrição de vídeo do YouTube que “o policial confessa que tentou arrancar o cartaz a fim de nos fazer sair da esquina”.
Para Allen, isso parece uma violação do direito de livre expressão garantido na Primeira Emenda da Constituição dos Estados Unidos.
“Temos pregado nesta esquina com esses mesmos cartazes há dois anos”, ele diz na introdução do YouTube.
A reportagem de uma estação local de televisão também cobriu a polêmica que está em andamento.
 
Allen disse para WND que ele toca o shofar e outros pregam para as pessoas que passam por causa do aviso do Antigo Testamento de que aqueles que conhecem a verdade da vontade de Deus e não a transmitem para os outros será responsabilizado pela negligência.
Allen disse para WND que seus ministérios em grande parte tinham um relacionamento razoável com as delegacias de polícia de Houston, mas esse incidente pareceu estar se estendendo para os policiais.
Ele disse que não podia especular acerca do tipo de impacto que a mensagem que seus ministérios pregam sobre condenação bíblica ao homossexualismo poderá ter no resultado de seu caso.
“Tudo o que estávamos fazendo era pregar”, disse ele. “Contra todos os pecados”.
Fonte: WND
 

CUIDADO: Rede de Televisão com apoio dos Depravados da Centro-Esquerda e Esquerdista estarão tentando convencer você do Estilo de Vida Sodomita e Pederasta. Esta cosmovisão trará mais maldição para o Brasil, esta maldição já começou afetar a Europa e os EUA.

Com apoio do governo e da ONU, Rede Globo fará campanha em massa de combate à “homofobia”



Com apoio do governo e da ONU, Rede Globo fará campanha em massa de combate à “homofobia”

Julio Severo
Neste mês de feriado de Natal, a relatora do PLC 122 Marta Suplicy contará com uma poderosa artilharia de apoio.
 
A Rede Globo, em parceria com o PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento) e com a Unesco (Organização das Nações Unidas para Educação, a Ciência e a Cultura), elaborou uma campanha de combate à “homofobia” que foi assistida e aprovada pela presidente petista Dilma Rousseff e pela Secretaria de Comunicação da Presidência. A campanha em massa será dirigida ao público durante 15 dias, dando tempo suficiente para Suplicy poder obter da população apoio para a sua ambicionada meta de aprovar a lei federal anti-“homofobia”, mais conhecida como PLC 122.

A propaganda, que durará 30 segundos, terá como slogan “discriminar homossexuais é crime. Cidadania, a gente vê por aqui”. A Secretaria Especial de Direitos Humanos (SDH) declarou que o governo federal não precisou gastar um centavo com a campanha, que foi bancada completamente pela Rede Globo.

Entretanto, a SDH deixou claro que o governo de Dilma Rousseff vai produzir sua própria campanha anti-“homofobia” em massa dirigida à população brasileira em 2012.
A SDH é dirigida pela militante petista radical Maria do Rosário, que tem um projeto de lei para proibir os pais de aplicar correção física nos filhos. De forma oposta, ela apoia o aborto legal e a doutrinação homossexual das crianças nas escolas. De acordo com ela, aplicar disciplina física nos filhos não pode. Mas pode-se, conforme a ideologia dela, matar os filhos antes de nascer e doutriná-los no homossexualismo se não forem abortados.
Se a população vacilar, o PLC 122 será aprovado, trazendo piores consequências do que as consequências que já estão ocorrendo no Estado de São Paulo, onde em 2001 o PSDB aprovou uma lei estadual anti-“homofobia”. Graças a essa lei, obscenidades homossexuais em público estão protegidas pelo governo estadual, que está perseguindo igrejas que divulgam publicamente o que a Bíblia diz sobre o homossexualismo.

Maria do Rosário, Marta Suplicy e ativistas gays exigindo aprovação do PLC 122

O apoio explícito da Rede Globo à relatora do PLC 122 não é de estranhar. Anos atrás, Marta Suplicy era funcionária da Globo, apresentando na TV o sexo anormal como se fosse normal. Seu esculachado programa de besteirol sexual acabou virando profissão política. Hoje, mamãe global e filha suplício trabalham com a mesma meta.
Com informações do site homossexual A Capa.
Campanhas anti-“homofobia” anteriores da Rede Globo: