LIBERDADE DE EXPRESSÃO.

LIBERDADE DE EXPRESSÃO.
A CULTURA GAY É INTOLERANTE E NÃO CONSEGUE VIVER NA DIVERSIDADE COM RESPEITO

quinta-feira, 22 de março de 2012

O fim anunciado da monarquia inglesa

O fim anunciado da monarquia inglesa


by O. Braga

"Peter Bone MP has written to equalities minister Lynne Featherstone asking whether the Government has considered the constitutional implications.




If same-sex marriage is allowed, he said, a lesbian Queen could reign on the throne with a Queen consort."



via Redefining marriage could affect monarchy, says MP
News
The Christian Institute.



A intenção de David Cameron em desconstruir a instituição do casamento no Reino Unido, para acomodar na lei meia dúzia de gays — transformando o casamento em um direito negativo, tal como aconteceu, infelizmente, em Portugal —, terá consequências na legitimidade da multi-secular monarquia inglesa, que passa a correr risco de extinção.



Em primeiro lugar, o rei ou a rainha de Inglaterra são os governadores supremos da Igreja de Inglaterra (Igreja Anglicana); e dado que esta última não aceitará a celebração de “casamentos” gay, passará a existir em Inglaterra uma contradição basilar e uma crise constitucional entre o poder político, por um lado, e o poder religioso e espiritual, por outro lado.



Em segundo lugar está o problema dos títulos. Por exemplo, à mulher de um homem a quem é concedido o título de SIR [por exemplo, Sir Elton John], é concedido automaticamente o título de LADY. Se Elton John não fosse fanchono, e fosse casado, a sua mulher teria o título de “Lady”. Ora, com a extensão do “casamento” a pares de gays, das duas uma: ou a “marida” de um gay passa a ser uma “Lady”, ou as mulheres dos titulares [homens] deixam de ter direito ao título de “Lady”.



E por último, e não menos importante, poderíamos ver um rei gay “casado” com um machão que seria uma “marida” e a “rainha consorte” gay — um par de fanchonos no trono de Inglaterra. E mais: uma rainha lésbica e a sua consorte lésbica poderiam recorrer à fertilização in vitro e à barriga-de-aluguer, sendo que o dador de esperma, qualquer que fosse, teria automaticamente direito a um título nobiliárquico por direito.



Em suma: o “casamento gay” é coisa de republicano fanchono.

O. Braga
Terça-feira, 20 Março 2012 at 3:08 pm
Tags: casamento, casamento gay, David Cameron, homossexualismo, Inglaterra
Categorias: A vida custa, ética, cultura, Esta gente vota, Gayzismo, homocepticismo, politicamente correcto
URL: http://wp.me/p2jQx-aMq  

Divulgação: http://cultura-calvinista.blogspot.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário