LIBERDADE DE EXPRESSÃO.

LIBERDADE DE EXPRESSÃO.
A CULTURA GAY É INTOLERANTE E NÃO CONSEGUE VIVER NA DIVERSIDADE COM RESPEITO

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Agressão a gay por três lésbicas pode ser considerada "crime de ódio"

Vejam abaixo o caso curioso de três lésbicas que estão sendo acusadas de "crime de ódio de cunho homofóbico" nos Estados Unidos. Aproveitando a deixa, sabiam vocês que vinte e uma (21) pessoas foram condenadas nos Estados Unidos em 2010 por crimes de "heterofobia"?
---

Boston Herald

25 de Fevereiro de 2012

Por Richard Weir
Três mulheres identificadas como lésbicas pelo advogado que as defende foram acusadas ontem (24) de cometer um crime de ódio por espancar um homem gay na Estação de Trem Forest Hills, Boston, em um caso incomum que segundo especialistas expõe a lógica perversa da lei de crimes de ódio.


“Acredito que nenhum júri com bom senso condenará as acusadas sob aquelas circunstâncias, mas o que isso realmente demonstra é a estupidez da legislação dos crimes de ódio”, afirmou o advogado pelas liberdades civis Harvey Silvergate. “Se você espanca alguém, você é culpado de agressão a um ser humano. Ponto. A ideia de tentar segmentar os seres humanos em categorias está condenada ao fracasso”


A acusação e a União Americana pelas Liberdades Civis – ACLU - de Massachusetts afirmaram que não importa a orientação sexual das acusadas; elas ainda devem responder pelo crime de agressão e espancamento com a intenção de intimidar, já que a agressão física foi acompanhada por uma linguagem de ódio, o que pode levá-las a dez anos de prisão.

“Um judeu pode ser anti-semita”, disse a advogada-chefe da ACLU Sarah Wunsch. “O simples fato de alguém pertencer a uma mesma classe não significa que não possa agir motivado por ódio ao seu próprio grupo”.


Mas Carolyn Euell, 38, mãe de duas acusadas, Erika Stroud, 21, e Felicia Stroud, 18, disse aos repórteres que a agressão não pode ser um “crime de ódio”, já que suas duas filhas são lésbicas.


A advogada de acusação Lindsey Weinstein afirmou que as duas irmãs e uma outra colega, Lydia Sanford, agrediram impiedosamente o homem com uma série de socos e pontapés após ele ter esbarrado nelas com sua mochila nas escadas da estação. Weinstein disse que a vítima, que teve o nariz quebrado, relatou aos policiais que acreditava “ter sido atacado por conta de sua orientação sexual” já que as três mulheres “o insultaram com xingamentos homofóbicos”.


A advogada de defesa Helene Tomlinson, que representa Sandord, disse ao juiz que sua cliente é “uma lésbica assumida... de modo que a acusação de atitude homofóbica é injustificada”. Ela afirma que o homem é que foi o agressor e que utilizou expressões de ódio racial: “ele provocou as mulheres”.


A defesa de Felícia Stroud, C. Harold Krasnow, afirmou: “Elas não sabiam qual era a orientação sexual dele, da mesma forma que ele não sabia a delas”.


Fonte via: http://gaysdedireita.blogspot.com.br/2012/02/agressao-gay-por-tres-lesbicas-pode-ser.html


Fonte: http://bostonherald.com/news/regional/view/20220225lawyer_lesbians_assault_on_gay_man_cant_be_hate_crime/srvc=home%26position=2

terça-feira, 17 de abril de 2012

Cartaz da Parada Gay ataca catedral católica e causa polêmica

Cartaz da Parada Gay ataca catedral católica e causa polêmica


Um cartaz utilizado para divulgar a parada gay de Maringá (PR), em que aparece a imagem da catedral católica causou polêmica entre a população. O grupo de lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e transgêneros (LGBT) criou uma imagem em que o arco-íris (símbolo utilizado pelos grupos gays) explode do teto da igreja, a Catedral Basílica Menor de Nossa Senhora da Glória, principal ponto turístico da cidade.



O arcebispo de Maringá Dom Anuar Battist acredita que os cartazes são desrespeitosos. “A Catedral antes de ser um símbolo de Maringá, é um símbolo religioso da fé da maioria dos maringaenses e, por essa razão, lamentamos o uso do cartaz”, disse Dom Battisti ao G1.



O arcebispo ressaltou ainda que a Igreja não pretende impor valores e princípios. “A Igreja Católica não tem a pretensão de domesticar a sociedade, impondo-lhe seus princípios e valores”, disse a nota emitida pela arquidiocese de Maringá.



A nota ressalta que a igreja respeita a diversidade social, mas “nem sempre concorda com todos os tipos de comportamento”. A nota diz que a entidade lamenta o uso da imagem da catedral e solicita a retirada do cartaz de todos os meios de comunicação.



O responsável pela organização da parada, e integrante do grupo Maringay, Robson Girardello, explicou que a ideia para a criação do cartaz veio do álbum do grupo britânico Pink Floyd, The Dark Side of the Moon. “Simbolicamente, é algo que entra inteiro e direto de um lado, e sai plural do outro, mostrando suas diversas e verdadeiras formas”, explica, em um trecho de um texto publicado por Girardello no site do Maringay.



Também o presidente da AGLBT, Toni Reis, disse que não viu má intenção no cartaz. “O símbolo de Maringá é a Catedral e o arco-íris é o símbolo da diversidade. Eu não vi nenhum desrespeito. Até porque nós também somos filhos de Deus. Eu não vi maldade nenhuma”, disse à publicação.



Segundo o Maringay, o material não chegou a ser impresso e foi postado na internet como um rascunho da campanha.



A Parada Gay em Maringá está marcada para 20 de maio.



Fonte: The Christian Post

http://www.verdadegospel.com/cartaz-da-parada-gay-utiliza-imagem-de-catedral-e-causa-polemica/?area=2
 
Divulgação: http://intoleranciahomossexual.blogspot.com/

quinta-feira, 5 de abril de 2012

O homofascismo avança na União Europeia

O homofascismo avança na União Europeia


by O. Braga

Na União Europeia existe uma Agência dos Direitos Fundamentais [ADF] que se preocupa muito com os direitos dos gays, e praticamente nada com os direitos dos cristãos. Aliás, nem poderia ser de outra maneira: ou a ADF se preocupa com os direitos dos gays, ou se preocupa com os direitos dos cristãos, porque os direitos de uns e de outros são contraditantes, na medida em que os direitos dos gays implicam progressiva e necessariamente a proibição das religiões universais.



A ADF vai gastar brevemente 370 mil Euros do dinheiro dos contribuintes dos países da União Europeia em uma sondagem acerca da “discriminação” em relação aos gays. Porém, o que é curioso é que as conclusões da sondagem já estão previamente estabelecidas: a sondagem servirá apenas para fundamentar as conclusões pré-estabelecidas pela ADF.



As conclusões pré-estabelecidas pela ADF são as seguintes: quase todas as pessoas LGBT [Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgéneros] da União Europeia são vítimas de discriminação. Por isso, (i) as leis dos países da União Europeia devem ser mudadas, (ii) devem ser garantidos mais privilégios à comunidade gay, (iii) e as pessoas que não concordem ou não aceitem o estilo de vida gay devem ser processadas em tribunal e condenadas à prisão por “discurso de ódio”.







Em face destas conclusões prévias estabelecidas pela ADF, os factos que as demonstrem deverão ser fabricados a posteriori através de uma sondagem de 370 mil Euros encomendada à GALLUP. Porém, a sondagem tem algumas características especiais, a ver:



O público alvo da sondagem é constituído apenas e só por membros da comunidade LGBT [Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgéneros]. As opiniões das pessoas que não pertencem à comunidade gay — a esmagadora maioria da população — não contam para a sondagem, nem tão pouco são autorizadas a participar na sondagem as pessoas que não pertençam à minoria LGBT [Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgéneros].

Dentro da comunidade LGBT [Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgéneros], apenas aquelas pessoas consideradas “vítimas LGBT” poderão responder à sondagem. Ou seja, as pessoas da comunidade gay que não se considerem vítimas de discriminação, não poderão responder à sondagem.

A sondagem é anónima e não é baseada em factos verificáveis.

Por exemplo, o Observatório da Intolerância e Discriminação Contra os Cristãos, publicou recentemente o relatório anual de 2011, no qual são relatados mais de 600 incidentes envolvendo discriminação e/ou violência contra cristãos na União Europeia. Acontece que esse relatório anual de 2011 menciona a data, o lugar, e os factos essenciais ocorridos em relação a esses incidentes contra cristãos. Eis um exemplo de como deve ser feita uma sondagem ou um relatório sobre discriminação.



No entanto, a ADF optou por uma sondagem anónima e desprovida de factos verificáveis, em relação às conclusões previamente estabelecidas de uma sondagem a realizar, e segundo as quais 99,9% dos gays são discriminados na União Europeia.



As perguntas da sondagem sugerem as respectivas respostas. Ou seja, as perguntas são feitas de tal forma que as respostas só podem confirmar a putativa "discriminação" sofrida pela pessoa que responde à sondagem.

O. Braga
Quinta-feira, 5 Abril 2012 at 7:25 pm
Tags: marxismo cultural
Categorias: Democracia em perigo, Gayzismo, homocepticismo, Homofascismo, Política, politicamente correcto
URL: http://wp.me/p2jQx-aX4  

Divulgação: http://cultura-calvinista.blogspot.com/

Magno Malta vê tentativa de criação de império homossexual no Brasil

Magno Malta vê tentativa de criação de império homossexual no Brasil



O senador Magno Malta alertou, nesta terça-feira (3), para a possibilidade de criação de “um império homossexual no Brasil”. De acordo com ele, o país não é homofóbico e os militantes gays estariam promovendo perseguição contra aqueles que não concordam com eles.



Ao criticar projeto que criminaliza a homofobia (PLC 122/2006), em tramitação no Senado, Malta reclamou que manifestações contrárias à homossexualidade serão punidas com mais rigor que as manifestações contrárias a qualquer outro grupo caso a proposta vire lei.



"Se você não aluga seu imóvel para um homossexual, ou não aceita o ato afetivo de um casal gay, pega sete anos de cadeia. Se demite ou não admite um homossexual na sua empresa, cinco anos de cadeia. Eu posso não alugar minha casa para um negro, eu posso demitir um portador de deficiência, eu posso não admitir gestos afetivos de um casal heterossexual na porta da minha casa e pedir que eles se beijem em outro lugar, longe dos meus filhos. Mas, se eu fizer isso com um casal homossexual, um simples boletim de ocorrência me levará para a cadeia".



Boa parte do pronunciamento de Malta na tribuna foi dedicada ao que chamou de “campanha contra o pastor Silas Malafaia”, um dos líderes da Assembleia de Deus. O religioso está sendo processado por se manifestar contra os organizadores da 15ª Parada do Orgulho Gay de São Paulo, que levaram figuras de santos católicos em posições sensuais para a Avenida Paulista, em junho de 2011.



Em seu programa de TV, Malafaia teria aconselhado os católicos a “baixar o porrete” e “entrar de pau” nos participantes e organizadores. Para o procurador que atua no processo, ele teria se comportado como “assassino de homossexuais”.



De acordo com Magno Malta, como a acusação, tenta-se calar a posição contrária à homossexualidade adotada pelo pastor. Ele recordou o episódio em que um bispo da Igreja Universal chutou uma santa em um programa de TV, e, reprovando o ato, perguntou onde estão, hoje, os defensores da Igreja Católica que naquela época se voltaram contra os evangélicos.



Em aparte, o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) disse que conhece os autos do processo e o contexto da fala de Malafaia. Para ele, o pastor não queria incitar a violência física ao dizer “entrar de pau”, apenas teria usado um termo comumente usado no sentido de criticar com veemência, ou responder com forte crítica.



"Eu li tudo e acho que estão agindo com intolerância contra Malafaia, ele não estava incitando a violência física", disse.



Da Agência Senado

Fonte via:
http://www.pernambuco.com/ultimas/nota.asp?materia=20120403211943&assunto=27&onde=Politica


Divulgação: http://cultura-calvinista.blogspot.com/

quarta-feira, 4 de abril de 2012

Professor (Homossexual) da UNEB é acusado de praticar sexo com adolescentes (Talvez não poderá ser preso por ser preconceito contra homossexuais)

Professor da UNEB é acusado de praticar sexo com adolescentes


Publicado: 28/02/2012 07:28

Matéria Lida: 1679 Vezes

Fonte SulBahia
O professor universitário, Jeová Brito de Sampaio, de 57 anos, foi preso na última quarta-feira, 22 de fevereiro, em Nanuque Minas Gerais, depois de ter sido flagrado por policiais militares, praticando sexo com adolescentes de 12 e 17 anos, em sua residência.
Além dos dois menores, outros quatro adolescentes estavam na casa, e confessaram que também mantinham relações sexuais com o Jeová em troca de dinheiro.
O professor foi preso em flagrante e conduzido à delegacia e em seguida encaminhado ao presídio. Jeová é contratado do Campus-X da Universidade Estadual da Bahia (UNEB) de Teixeira de Freitas, e também dava aulas na Escola Estadual Antônio Batista da Mota, na cidade mineira.

Comentários

roberto brito
17/03/2012 - 20:00

Inacreditável. Conheço esse senhor a 32 anos mas faz uns 20 que não o vejo. Ótimo professor, excelente profissional. Sabia da opção sexual dele mas o fato de se envolver com menor é imperdoável. Deve sim se submeter às penas da lei. Roberto,Rio de Janeiro.


Fonte: http://jornalnovafronteira.com.br/index2.php?p=MConteudo&i=5518