Segundo um relatório oficial do Pentágono, depois que Barack Hussein Obama — em princípios de 2011 — permitiu o ingresso de homossexuais assumidos nas Forças Armadas americanas, o número de soldados do sexo masculino violados ou sodomizados aumentou 300% em apenas um ano.
O número de assaltos sexuais violentos sobre soldados do sexo masculino era de 5% do total [95% eram assaltos sexuais violentos de homens-soldado sobre mulheres-soldado] — isto, antes da decisão de Barack Hussein Obama em abrir as Forças Armadas aos gays assumidos. Porém, em apenas um ano [2011], o número de assaltos sexuais violentos sobre soldados do sexo masculino passou para 14% do total.
Segundo o mesmo relatório, o número de mulheres-soldado violadas ou atacadas sexualmente poderia diminuir drasticamente se a instrução militar fosse dada em separado — e não a instrução mista, como acontece hoje nos Estados Unidos.
O problema da afirmação do politicamente correcto na sociedade, é que chegará o dia em que a maioria da população verificará, por experiência própria, que a complacência e a permissividade culturais em relação ao politicamente correcto revelaram-se nefastas para a sociedade. A sociedade chegará à conclusão de que a aceitação das imposições do politicamente correcto foi um erro que se paga caro. E será nessa altura que a inversão do processo, com decisões contra as concessões culturais que se revelaram, em termos práticos, erradas, poderá provavelmente revestir-se de uma extrema violência,