LIBERDADE DE EXPRESSÃO.

LIBERDADE DE EXPRESSÃO.
A CULTURA GAY É INTOLERANTE E NÃO CONSEGUE VIVER NA DIVERSIDADE COM RESPEITO

domingo, 30 de setembro de 2012

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

O feminazismo e a construção paulatina do homofascismo

O feminazismo e a construção paulatina do homofascismo
http://mulherreformada.blogspot.com.br/2012/09/o-feminazismo-e-construcao-paulatina-do.html

"Travesti é suspeito de começar fogo em favela e trancar parceiro" (Isto é HOMOFOBIA - É violar os Direitos Humanos - Isto é faltar com respeitos com os valores petistas, socialistas e esquerdistas)

Travesti é suspeito de começar fogo em favela e trancar parceiro

Preso por começar incêndio em favela teria trancado parceiro em barraco em chamas, diz polícia

Fabiana Nanô
Do UOL, em São Paulo

Atualizado em: 17/09/2012 - 17h25
 
Moradores vizinhos ao barraco do travesti Fidelis Melo de Jesus, 37, conhecido como Eliete, afirmaram em depoimento no 77º DP que o incêndio na favela do Moinho, na região central de São Paulo, na manhã desta segunda-feira (17), foi causado por ele durante uma briga com seu parceiro, Damião de Melo, 38, que morreu carbonizado. Os dois estavam em um relacionamento homoafetivo havia cinco anos.

De acordo com o delegado titular do DP, Marcos Galli Casseb, os dois eram usuários de droga e estavam no meio de uma discussão quando Eliete teria ateado fogo a uma camiseta no barraco e o trancado por fora, deixando o parceiro do lado de dentro. O travesti deixou a favela em uma ambulância do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e foi encontrado no Hospital Barra Funda, sob efeito de drogas.

Um morador da favela, no entanto, afirmou que entrou no barraco em chamas no início do incêndio para tentar apagar o fogo e que a porta não estava trancada. "O barraco estava aberto, eu entrei no barraco do fogo", contou o repositor Marcos Antônio de Moura, 31, que mora na comunidade há dez anos, atualmente com o filho de dois anos.

Fidelis Melo de Jesus se encontra detido no 77º DP e nega que tenha ateado fogo ao local e iniciado o incêndio na favela. A polícia desconhece o motivo da susposta discussão. Damião havia deixado a cadeia, onde cumpria pena por roubo e furto, em junho deste ano. Já Eliete não tinha passagem pela polícia. De acordo com a delegada Aline Gonçalves, ele pode pegar de 12 a 30 anos de prisão se condenado por homicídio qualificado e por incêndio doloso.

Duas moradoras do Moinho contaram que o barraco onde Jesus vivia com Melo era antes ocupado por uma família, que deixou o local há cerca de três meses, quando então os dois homens passaram a morar ali. Moradora da comunidade há mais de cinco anos, Gislaine dos Santos salvou uma televisão e o aparelho de micro-ondas. Ela diz que saiu para levar seus dois filhos, um de quatro e outro de dois anos de idade, à creche e, na volta, o incêndio já tinha queimado parte da favela.
A Defesa Civil estima que ao menos 80 barracos tenham sido destruídos e 300 pessoas estejam desabrigadas. O trânsito foi bloqueado nos dois sentidos do Viaduto Orlando Murgel - ligação entre as avenidas Rio Branco e Rudge -, que passará agora por uma inspeção.

Além disso, a circulação foi interrompida nas linhas 7-Rubi e 8-Diamante da CPTM e, de acordo com a SPTrans, 17 linhas de ônibus tiveram itinerário desviado. Todas as ruas do entorno da comunidade foram bloqueadas, segundo a CET, e vias no sentido da alça da marginal do Tietê para a Ponte da Casa Verde também foram fechadas. O trânsito ficou concentrado na avenida Rudge.

Incêndio em 2011

No dia 22 de dezembro do ano passado, um incêndio de grandes proporções destruiu parte da favela do Moinho. O fogo começou em um prédio abandonado de quatro andares. Segundo o Corpo de Bombeiros, em menos de meia hora, o incêndio devastou um terço da comunidade, onde moravam cerca de 600 pessoas. O local afetado tinha 6.000 m². Duas pessoas morreram, e dezenas de famílias ficaram desabrigadas.

“Não há nexo entre os dois incêndios, a não ser que foram provocados por usuários de droga”, afirmou o delegado Casseb. Segundo ele, uma mulher que também é usuária de drogas é procurada por ter sido responsável pela ocorrência de dezembro.

A área onde está a favela do Moinho vem sendo alvo de disputas judiciais entre a prefeitura e os moradores nos últimos anos. Enquanto a administração municipal tenta desapropriar a área e utilizá-la para outros fins, os moradores buscam conquistar o direito de permanecer no local.

Outros casos

No dia 3 de setembro, um incêndio de grandes proporções atingiu a favela morro do Piolho, na zona sul da capital paulista, deixando 285 famílias desabrigadas --o equivalente a cerca de 1.140 pessoas, segundo informações da Defesa Civil.

Quatro dias depois, o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, declarou que o fogo pode ter sido intencional. "Lá existe até a suspeita de que o incêndio possa ter sido provocado, como, aliás, foi identificado em outros casos", disse.

Por sua vez, o Ministério Público de São Paulo investiga se a série de incêndios ocorridos desde janeiro deste ano em favelas da capital paulista tem relação com o interesse do setor privado ou do setor público em construir nas áreas de entorno dessas comunidades. (Com informações da Agência Estado)

Fonte: http://noticias.bol.uol.com.br/brasil/2012/09/17/preso-por-comecar-incendio-em-favela-teria-trancado-parceiro-em-barraco-em-chamas-diz-policia.jhtm



Divulgação:

 



sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Homossexuais são responsáveis pelo Holocausto Judeu, segundo Best seller "A Suástica Cor de Rosa". A homossexualidade era o centro dos regimes nazista e fascista e que a elite nazista era constituída por homossexuais enrustidos.

Homossexuais são responsáveis pelo Holocausto Judeu, segundo Best seller "A Suástica Cor de Rosa".





Os autores mostram com “provas irrefutáveis” que a homossexualidade era o centro dos regimes nazista e fascista e que a elite nazista era constituída por homossexuais enrustidos.As diretrizes do Partido teriam sido traçadas em Munique – mais exatamente no Bratwurstgloeck, que seria conhecido nos dias de hoje como um bar gay. Muitos dos rituais e símbolos viriam de “organizações sodomitas”, entre elas a saudação “Sieg Heil” (Viva a Vitória!) e a logomarca dos SS. Segundo o livro, Hermann Goering caprichava na aparência, usando roupas exóticas e maquiagem pesada, mesmo sendo tido como um marido exemplar em seus dois casamentos.
Rudolph Hess , seria conhecido no Partido como “Fraulein Anna”. Herschel Grynszpan, jovem judeu que matou Ernst von Rath em Paris (1938), dando aos nazistas uma boa desculpa para a “Noite de Cristal”, onde foram mortos 35 mil judeus é descrito como prostituto homossexual que sabia demais, “detalhe” que foi usado pelo advogado de defesa, com sucesso, para adiar indefinidamente seu julgamento por homicídio. A orientação fundamentalista de direita do discurso dos autores deu origem a discussões sem fim que, até hoje, explodem aqui e ali, provocando um debate cujo conteúdo é surrealista. Havia uma outra razão para que os nazistas prendessem e matassem homossexuais: eles desejavam apagar evidências “incriminatórias” contra seus próprios líderes. Scott Lively (advogado e presidente da Pro-Family Law Center - e Kevin Abrams (que se autodefine como “um psico-historiador” das leis) procuram destruir o mito de que os nazistas perseguiam homossexuais. E que, na realidade, a maioria dos Nazistas e atuais simpatizantes (como os dirigentes dos modernos grupos nazistas americanos) também eram ou são gays. E que os homossexuais foram os verdadeiros culpados pelo Holocausto, uma vez que Adolf Hitler e todos os seus comparsas eram gays. Uma versão completa online (em inglês ) de “The Pink Swastika”, com nota explicativa dos autores, está disponível em:http://www.mega.nu:8080/ampp/pinkswastika.hold/index.html O Segredo de Hitler Segundo Lothar Machtan, professor de História Contemporânea e do Tempo Presente na Universidade de Bremen, Adolf Hitler teve-ao final dos anos 20 - uma série de relacionamentos homossexuais. Durante cinco anos, por exemplo,teria mantido uma relação com seu colega de caserna Ernst Schmidt. A partir de 1930, com a ascensão do partido nazista, ele se sentiu vulnerável e tentou por todos os meios apagar esta imagem "comprometedora". A eliminação do chefe das SA Ernst Roehm, em 1934, foi diretamente ordenada por Hitler, como “queima de arquivo”. O Coronel Roehm, homossexual assumido, detinha em seu poder documentos altamente comprometedores. Adolf Hitler teria ordenado a perseguição aos homossexuais para dissimular sua própria sexualidade. Destaque na feira de Frankfurt em 2001, a obra enfoca a pessoa humana que foi Adolf Hitler, dissecando especialmente um período sombrio que nunca havia sido explorado: sua juventude em Viena e o início da carreira político-militar na Alemanha. O Professor Machtan documenta os envolvimentos pessoais do ditador e seu caráter promíscuo (teria sido contagiado pela sífilis), explicando que só é possível tentar compreendê-lo se for considerado este aspecto de sua personalidade. A orientação sexual obrigou a cúpula do Partido Nazista a se restringir a um círculo que foi se tornando cada vez mais fechado. As nomeações para cargos de confiança seriam feitas não pela competência, mas pelo nível de discrição e fidelidade ao Führer. As raras relações heterossexuais também são avaliadas: com a própria sobrinha Angela Maria (Geli) Raubal(Talvez ela tenha sido amante do Tio Adolf, talvez não. A morte aos 23 anos foi anunciada oficialmente como suicídio, mas rumores garantiam, na época, que havia sido morta por Heinrich Himmler.Quanto ao casamento “in extremis”, segundo Lothar Machman, Hitler teria se unido a Eva Braun pouco antes do suicídio para, com este gesto grandiloquente,“assegurar sua masculinidade perante a História” Afirma também o autor que “a inclinação sexual de Hitler não é “A” chave para compreender sua vida, mas conhecê-la abre novas possibilidades interpretativas”




By THEREZA PIRES
Fonte: Clame pela Noiva: A Suástica Cor de Rosa.
 
 
Fonte: http://resistenciacristaj.blogspot.com.br/2011/09/homossexuais-sao-responsaveis-pelo.html
 
 
Divulgação:
 
 
 
 

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

CULTURA PETISTA, SOCIALISTA, ESQUERDISTA E GLOBISTA: RELAÇÃO DE VÍDEOS DAS PARADAS GAYS E A SAFADEZA EM PÚBLICO

RELAÇÃO DE VÍDEOS DAS PARADAS GAYS E A SAFADEZA EM PÚBLICO



0. PARADAS GAYS – A FESTA DA IMORALIDADE
http://www.jornaldiadia.com.br/jdd/artigos-e-opinioes/14118-parada-gay-a-festa-da-imoralidade

1.
É verdade que em paradas gays os homossexuais fazem sexo na rua e demais lugares públicos?
http://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20110323075922AAZMII8

2. Katilene TV – PARADAS GAYS
http://www.youtube.com/watch?v=UVqh9XbE7mU

3. PARADA GAY DE SALVADOR – 2007
http://www.youtube.com/watch?v=7O6t0-yGHTA

4.PARADA GAY DE S.PAULO – 2010
http://www.youtube.com/watch?v=Sk7S_1zNxQI


6. Muitos Gays dando a maior pinta na Av.Parou viado !express# !metadata#! - 2008
http://www.youtube.com/watch?v=vURragbkf-4

7.TRAVESTI SE EMPOLGA NA PARADA GAY 2010
http://www.youtube.com/watch?v=hNSv34Wnnzs


9.Flagras.com -Parada GLS 2008 (Mossoró-RN)
http://www.youtube.com/watch?v=8C4QRfgKzGY&NR=1


11. PARADA GAY 2009 - TRAVESTI SEMI-NU NA RUA
http://www.youtube.com/watch?v=ID0CzgG3MzU&feature=related

12. Jovens deixam aula para práticar sexo no banheiro do colégio Estadual do Paraná
http://www.youtube.com/watch?v=Uu4H0YL98ZA&feature=related

13. ORÁCULO DO SEXO = PARADA GAY
http://www.youtube.com/watch?v=VmEfliOhhWU

14.
Banheiro dá lucro e dor de cabeça para bares durante parada -2011
http://noticias.uol.com.br/ultnot/multi/2011/06/22/04020C9A3260C8B91326.jhtm?banheiro-da-lucro-e-dor-de-cabeca-para-bares-durante-parada-04020C9A3260C8B91326


15. Comércio de trios e tom da parada "racham" movimento gay - 2011
http://noticias.uol.com.br/ultnot/multi/2011/06/24/0402CD9C3770C8B91326.jhtm?comercio-de-trios-e-tom-da-parada-racham-movimento-gay-0402CD9C3770C8B91326

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Movimento Gay e o Poder Judiciário Relativista, Imoral, Secularista e Anti-DEUS são O Estado-de-polícia

O Estado-de-polícia (2)

by O. Braga

Vimos no último verbete como o Estado-de-polícia surgiu na Alemanha do século XVII, no seguimento do movimento político europeu dos teóricos da Razão de Estado do século XVI protagonizado, nomeadamente, por Jean Bodin, em oposição à tese franciscana, dos séculos anteriores, do poder absoluto do Papa. O absolutismo político do soberano, que se desenvolveu plenamente em França --- e em Inglaterra até ao terceiro quartel do século XVII [até à revolução inglesa que destituiu Cromwell] --- , surgiu em oposição à tese franciscana medieval do poder absoluto do Papa.
O intenção deste verbete é tentar fazer uma analogia — e não uma comparação! — entre o Estado-de-polícia alemão dos século XVII e século XVIII, com o que se passa hoje em Inglaterra.
O Camaralismo alemão, entendido como o desenvolvimento natural da teoria da Razão de Estado de Bodin, por um lado, e da sua adequação às características luteranas da Alemanha mediante a construção do conceito de Estado-de-polícia ou Wohlfahrtsstaat, por outro lado, é o prelúdio do que chamamos hoje de “Estado burocrático” que, apenas aparentemente, se opõe ao Estado de Direito liberal. Esta oposição entre o Estado-de-polícia e o Estado de Direito liberal é apenas aparente porque, em última análise, o desenvolvimento e evolução natural do Estado de Direito liberal parece descambar regularmente em um qualquer Estado-de-polícia, ou mesmo num totalitarismo [Alemanha, 1933].
A evolução do Camaralismo alemão e do Wohlfahrtsstaat é complexa, e não cabe aqui desenvolver o tema. Basta dizer que existiram duas teses ou teorias principais: a primeira, protagonizada pelo teórico camaralista Ludwig von Seckendorf (1626 – 1692), e a segunda pelo polémico teórico político austríaco Johann Heinrich Gottlob von Justi (1720 – 1771). que elevou o Camaralismo clássico segundo Seckendorf, a uma metafísica política.
O Estado-de-polícia pode ser resumido nos três seguintes conceitos de Christian Wolff: securitas, tranquilitas et sufficientia vitae. A securitas é a segurança em relação ao exterior; a tranquilitas é a segurança interior do Estado, e a sufficientia vitae é a imposição coerciva estatal do modelo de felicidade e do modo de vida dos súbditos.
Num Estado-de-polícia não existe propriamente uma religião de Estado: antes, o Estado é a própria religião.
Quando um país tem uma religião de Estado (por exemplo, o estatuto actual da Igreja Católica em Itália), a religião coexiste com o Estado mas aquela não se confunde com este. No Estado-de-polícia — como aconteceu na Alemanha da Wohlfahrtsstaat — o próprio Estado é constituído como uma religião imanente à sociedade, e de tal forma que, no seu ensaio Ideen zu einem Versuch, die Gränzen der Wirksamkeit des Staats zu bestimmen, o filósofo prussiano Wilhelm Humboldt (1767 – 1835) recusou radicalmente qualquer pretensão do poder público a intervir no sentido do “bem positivo” dos súbditos — nos âmbitos da saúde, da riqueza, educação, moralidade, assistência, etc.. E Kant já tinha anteriormente escrito no seu ensaio Teoria e Prática (1793):
“Um governo que fosse fundado sobre o princípio da benevolência para com o povo — tal o do pai para com os seus filhos, quer dizer, um governo paternal —, onde, por consequência, os sujeitos, tais filhos menores, incapazes de decidir acerca do que lhes é verdadeiramente útil ou nocivo, são obrigados a comportar-se de um modo unicamente passivo, a fim de esperar, apenas do juízo do chefe do Estado, a maneira como devem ser felizes, e unicamente da sua bondade que ele o queira igualmente — um tal governo, digo, é o maior despotismo que se pode conceber.”

O que se passa hoje em Inglaterra é uma versão contemporânea do Estado-de-polícia em que o secularismo de Estado se assume como uma religião de Estado que impõe coerciva e repressivamente um certo tipo de moralidade a toda a sociedade, por um lado, e em que o próprio Estado é elevado ao estatuto de deidade religiosa. Vemos como o Estado de Direito liberal, que até há pouco tempo existia em Inglaterra, evoluiu rapidamente para um Estado-de-polícia. Este fenómeno de evolução do Estado de Direito liberal para o Estado-de-polícia parece ser uma tendência actual em toda a Europa.

A INTOLERÂNCIA HOMOSSEXUAL é pior que a intolerância nazista, comunista e islâmica!

A INTOLERÂNCIA HOMOSSEXUAL é pior que a intolerância nazista, comunista e islâmica!

Eles usam VERBA PÚBLICA, usam dinheiro dos impostos dos cristãos e pessoas conservadoras para promover aquilo que é contrário aos MANDAMENTOS DE CRIADOR E SUSTENTADOR DO UNIVERSO.

Eles QUEREM  PUNIR todos aqueles que pensam diferentes deles. Porém, no DIA DO JUÍZO FINAL, não escaparão...

Oremos pelos cristãos e pessoas do bem do PRÓ-VIDA PE.

Precisamos urgente construir um ESTADO TEONÔMICO, CALVINISTA E REFORMACIONAL.

Eles estão embutidos no BOL/UOL/FOLHA DE SÃO PAULO para destruírem a família tradicional: http://noticias.terra.com.br/brasil/noticias/0,,OI6128219-EI306,00-Anuncio+contra+homossexualismo+causa+revolta+nas+redes+sociais.html

 
Divulgação: