LIBERDADE DE EXPRESSÃO.

LIBERDADE DE EXPRESSÃO.
A CULTURA GAY É INTOLERANTE E NÃO CONSEGUE VIVER NA DIVERSIDADE COM RESPEITO

quarta-feira, 23 de abril de 2014

Ativistas gays ( das matrizes petistas, socialistas, marxistas, progressistas, social-democratas, psol, pcdob, pv, etc...) proclamaram que querem os evangélicos queimados vivos em fogueiras.

“Todos os evangélicos devem ser queimados vivos em uma fogueira”

Relato da Dra. Damares Alves, assessora da Frente Parlamentar Evangélica, sobre ataque verbal de ativistas gays

Comentário de Julio Severo: Na data de em 22 de abril de 2014, durante a votação do PNE (Plano Nacional de Educação), ativistas proclamaram muito claramente que querem os evangélicos queimados vivos em fogueiras.
Fico pensando: Se a Dra. Damares, que presenciou e foi vítima direta de todo esse ataque de ódio, tivesse feito como os ativistas gays fizeram, proclamando que quer os ativistas gays queimados vivos em fogueiras, tenho certeza de que em menos de 24 horas ela perderia o emprego. A esta altura, ministros do governo de Dilma Rousseff estariam publicamente condenando o crime de ódio da assessora da bancada evangélica contra os militantes gays do Brasil. Maria do Rosário estaria trovejando nos noticiários de TV que, além de perda de emprego, a evangélica Damares deveria ser alvo de prisão e investigação federal. Globo e outras grandes redes de televisão estariam vociferando em coro que Damares representa todos os evangélicos, usando seu exemplo para castigar a oposição “odiosa” evangélica às práticas homossexuais.
Entretanto, a declaração de extermínio por tortura não foi dirigida aos ativistas homossexuais. Foi dirigida por eles aos evangélicos. Por isso, a Globo não apareceu e Maria do Rosário calou. No Brasil da ditadura gay, os opressores podem falar em extermínio das vítimas, mas elas não podem esboçar a mínima contrariedade à ditadura e ameaças, sob pena de serem acusadas de “homofóbicas” e “preconceituosas.”
Se os ativistas gays querem desabafar suas raivas, por que não viajam para a Arábia Saudita e gritam logo ao sair do avião: “Vocês merecem ser queimados vivos na fogueira por condenarem os homossexuais à morte”?
Se não querem viajar tão, eles deveriam fazer uma invasão de protesto em alguma mesquita do Brasil e deixar o mundo inteiro saber que os ativistas gays brasileiros querem o extermínio daqueles que os exterminam. Evidentemente, eles não farão isso porque a resposta islâmica mundial será uma só: mais extermínios de homossexuais!
É fácil ameaçar os cristãos, que não revidam nem matam. Por isso, os cristãos são alvos sistemáticos das ameaças e mentiras do movimento gay.
Eis o relato da Dra. Damares Alves sobre o que lhe fizeram ativistas gays determinados a impor a ideologia de gênero nas crianças do Brasil:
Damares Alves
Fui agredida hoje pela tarde dentro da Câmara dos Deputados. Como resultado da agressão, foi feita uma ocorrência policial.
No Plenário 5 acontecia a votação do PNE (Plano Nacional de Educação). Durante meses trabalhei assessorando os parlamentares cristãos para que fosse retirado do texto final a obrigatoriedade do ensino da ideologia de gênero nas escolas do Brasil.
Todos conhecem minha posição sobre o tema.
Vencemos! No final da votação a família brasileira venceu! A obrigatoriedade foi retirada.
Eu estava acompanhando a votação dessa questão de fora do Plenário, que estava lotado. Eu tinha de permanecer ali por perto, caso algum deputado precisasse de minha ajuda.
No final da votação sobre gênero, fui ao Plenário, pois os deputados cristãos ainda tinham outras questões para votar. Fui orientá-los, pois é meu trabalho.
Não fiquei no Plenário mais que seis ou oito minutos. Contudo, ativistas da ideologia de gênero estavam presentes e com os ânimos alterados por terem perdido na votação. Eles me viram orientado os parlamentares cristãos. Quando tentei sair do Plenário, um deles foi em minha direção e disse: “TODOS OS EVANGÉLICOS DEVERIAM SER QUEIMADOS VIVOS EM UMA FOGUEIRA NO BRASIL.”
Havia ódio no rosto e nos olhos dele. Pedi que ele repetisse a frase, pois pensei que havia entendido errado. Ele repetiu por mais duas vezes. Quando percebi a gravidade do que ele estava proferindo, pedi que ele falasse mais alto para que mais pessoas ouvissem, pois só os que estavam muito perto ouviram. O ativista gay se acovardou e não teve coragem.
No entanto, para minha surpresa, outro ativista gay que estava do lado disse que tinha coragem e começou a gritar alto. Na verdade, esse segundo ativista berrava: “TODOS OS EVANGÉLICOS DEVEM SER QUEIMADOS VIVOS EM UMA FOGUEIRA.”
Ele também gritava ainda que os evangélicos são uma desgraça para o Brasil e que deveriam que ser exterminados. Havia muito ódio nesses ativistas gays.
Os policias legislativos viram o que aconteceu e identificaram que havia incitação ao ódio e entenderam que eu corria perigo, pois o Plenário estava lotado de ativistas homossexuais. Os policiais foram em meu socorro e em seguida fomos todos conduzidos para a delegacia da Câmara.
De meu lado estava o Pastor Davi Morgado de São Paulo. De forma semelhante, ele se sentiu agredido e foi para delegacia também como vítima.
Os agressores continuavam destilando ódio.
Foi feito um Boletim de Ocorrência e depois de meu depoimento os policias legislativos me escoltaram de volta até meu local de trabalho, pois eu ainda corria risco de ser agredida dentro da Câmara dos Deputados.
O número do Boletim de Ocorrência é 048/2014, registrado no Departamento de Policia Legislativa da Câmara dos Deputados.
Foi horrível ver e sentir tanto ódio!
Eu só estava fazendo meu trabalho de forma muito discreta e pacífica, como faço todos os dias na Câmara.
Eu, como senhora, estava em uma situação vulnerável, pois no local por onde passei dentro do Plenário eles eram maioria e todos eles estavam muito irados por terem perdido a votação.
Se os ativistas, que me pareciam ligados a algum sindicato, estivessem portando algum objeto cortante ou alguma arma, eu creio que sofreria agressão física.
Havia muito ódio e rancor.
Tudo que ouvi me incomodou de verdade. Não é a primeira vez que ouço: “Morte aos evangélicos!” Mas desta vez senti que algo tinha que ser feito.
Basta de tanto ódio contra nós no Brasil!
Não vou ficar apenas no Boletim de Ocorrência. Quero continuidade. Quero vê-los processados por crime de ódio. Quero respeito aos evangélicos.
Leitura recomendada:
Sobre ideologia de gênero:
Outros artigos com menção de Damares Alves:

sábado, 12 de abril de 2014

Parada do Orgulho LGBT será financiada com dinheiro público. Petrobras, Caixa Econômica e Governo Federal investirão milhões para promover evento gay.

Parada do Orgulho LGBT será financiada com dinheiro público. Petrobras, Caixa Econômica e Governo Federal investirão milhões para promover evento gay.

Clique no link abaixo para acessar a reportagem:
http://economiareformacional.blogspot.com.br/2014/04/parada-do-orgulho-lgbt-sera-financiada.html

Famílias boicotam escolas que ensinam a “ideologia de gênero” by Luis Dufaur

Famílias boicotam escolas que ensinam a “ideologia de gênero” by Luis Dufaur

Clique no link abaixo para acessar mais informações:
http://generoediversidadenaescola.blogspot.com.br/2014/04/familias-boicotam-escolas-que-ensinam.html

Famílias boicotam escolas que ensinam a “ideologia de gênero” by Luis Dufaur

Famílias boicotam escolas que ensinam a “ideologia de gênero” by Luis Dufaur

Clique no link abaixo para acessar mais informações:
http://generoediversidadenaescola.blogspot.com.br/2014/04/familias-boicotam-escolas-que-ensinam.html

quinta-feira, 10 de abril de 2014

MAIS UM CASO DE INTOLERÂNCIA HOMOSSEXUAL: Bill Maher diz que máfia gay forçou diretor da Mozilla a pedir demissão

Bill Maher diz que máfia gay forçou diretor da Mozilla a pedir demissão

Gina Meeks
Apesar de suas opiniões esquerdistas, Bill Maher parece discordar dos ativistas gays que fizeram de alvo Brendan Eich, diretor da Mozilla, depois que descobriram que ele havia doado mil dólares para a Proposta 8 [que defendia o casamento tradicional].
Enquanto estava discutindo o recente pedido de demissão de Eich em seu programa “Real Time” na HBO, Maher disse que acha que existe uma “máfia gay” que “eliminará” qualquer um que cruzar o caminho deles.
“Então, evidentemente Eich não quer que pessoas gays se casem, e ele teve de se demitir. O que vocês acham disso?” ele perguntou a um painel no seu programa.
O painel dele concordou que Eich recebeu um tratamento injusto.
“Imagino que ele deu mil dólares oito anos atrás, e isso voltou para assombrá-lo,” disse o ex-deputado Tom Davis.
“Olha, e ele fez a doação numa época em que o presidente Obama ainda era contra o casamento gay,” comentou Carrie Sheffield, da revista Forbes. “Por isso, acho que é muito injusto.”
“Além disso, acho que existe uma máfia gay,” Maher acrescentou. “Acho que se você cruzar o caminho deles, você é eliminado. Penso realmente assim.”
O pedido de demissão de Eich na semana passada ocorreu dias depois que um popular site de namoro online, OkCupid.com, convocou um boicote contra o Firefox, o navegador da Mozilla, por indicar um inimigo do casamento gay como seu diretor.
Eich, que criou a linguagem de programação Javascript, é o co-fundador da Mozilla.
Traduzido por Julio Severo do artigo da revista Charisma: Bill Maher Says ‘Gay Mafia’ Forced Mozilla CEO to Resign
Leitura recomendada:

‘Conceito de orientação homossexual é invenção’, diz escritor gay

‘Conceito de orientação homossexual é invenção’, diz escritor gay

David Benkof tem uma coluna no site do jronal 'The Daily Caller'
David Benkof  escreve numa coluna no site do jornal ‘The Daily Caller’
Um escritor gay afirmou que a orientação sexual de pessoas que se sentem atraídas por outras do mesmo sexo é uma invenção moderna, e que ninguém nasce homossexual.
David Benkof afirmou em seu artigo, publicado no jornal ‘The Daily Caller’, que os historiadores realizaram um estudo sobre o tema e chegaram à conclusão de que o conceito de orientação sexual da homossexualidade não existia há cerca de 150 anos atrás.
No texto, Benkof frisa que embora relações e comportamento homossexual tenha existido ao longo da história da humanidade, o conceito de “orientação homossexual” não existiu em nenhuma outra cultura.
Boa parte dos dados usados no estudo foram extraídos de pesquisas acadêmicas feitas por estudiosos ligados ao movimento LGBT, segundo informações do ‘Charisma News’. Essas pesquisas também não encontraram o que poderia ser classificado como o “gene gay”, que pudesse levar o indivíduo a nascer orientado como homossexual.
“A base destas reivindicações é que a orientação sexual, como parte da identidade de uma pessoa, é inteiramente uma invenção moderna. Mesmo na cultura grega, onde o comportamento homossexual é conhecido por ter ocorrido, a linha de raciocínio, não há nada para mostrar, mesmo que uma minoria, de indivíduos identificados como gays ou homossexuais. Em vez disso, a homossexualidade foi supostamente considerada um suplemento para os relacionamentos heterossexuais regulares”, comentou Alex Kockman, colunista do ‘Charisma’, acrescentando que “em outras palavras, a ‘orientação sexual’ não é um identificador de núcleo como raça ou gênero; é totalmente uma construção social”.
A partir dessas constatações, e possível compreender o motivo de a Bíblia não mencionar de forma direta e objetiva as questões de “orientação homossexual”, uma vez que o conceito não existia na época, apesar de ser sabido que as relações homossexuais aconteciam.
“A Bíblia não menciona diretamente a ‘orientação homossexual’, porque o conceito de orientação sexual não existia, tanto na Escritura e na maior parte da história (como sabemos agora). A Bíblia claramente condena as ações e desejos homossexuais, juntamente com qualquer tipo de ação ou desejo sexual fora do casamento, a exemplo de Gênesis 05:02, Levítico 18:22 e 20:13, Mateus 5:28, Romanos 1:27 e 1 Coríntios 6: 9-11, que não deixam margem para dúvidas”, concluiu Kockman.
Deixe o seu comentário no Verdade Gospel.
Fonte: Gospel Mais

Fonte: http://www.verdadegospel.com/conceito-de-orientacao-homossexual-e-invencao-diz-escritor-gay/

"...delírios da chamada teoria de gênero, essa invenção de professores desocupados com problemas de identidade sexual." by Luiz Felipe Pondé

"...delírios da chamada teoria de gênero, essa invenção de professores desocupados com problemas de identidade sexual." by Luiz Felipe Pondé

Clique no link abaixo para acessar a matéria:
http://intelectuaisconservadores.blogspot.com.br/2014/04/delirios-da-chamada-teoria-de-genero.html

POLÍTICOS E MILITANTES PETISTAS - ESTÃO ENTRE OS MAIS CORRUPTOS DO MUNDO.

POLÍTICOS E MILITANTES PETISTAS - ESTÃO ENTRE OS MAIS CORRUPTOS DO MUNDO.

Clique no link abaixo para acessar a reportagem:
http://corrupcaojuridica.blogspot.com.br/2014/04/politicos-e-militantes-petistas-estao.html

terça-feira, 8 de abril de 2014

sexta-feira, 4 de abril de 2014

Intolerância Esquerdista, Socialista e Gayzista - "Se você não apoiar o “casamento” gay, você não merece um emprego"

Se você não apoiar o “casamento” gay, você não merece um emprego

Todd Starnes
Enquanto os Estados Unidos entram na era de ouro da tolerância e diversidade, o ativismo gay dos EUA está enviando uma mensagem de aviso aos americanos: Se você não apoiar o “casamento” gay, você não merece um emprego.
Ao que tudo indica, Brendan Eich não havia entendido essa mensagem. Até dias atrás, ele era o diretor da Mozilla, a organização de tecnologia que nos deu o navegador Firefox.
Eich pediu demissão debaixo de uma tempestade de polêmica depois que alguém revelou que ele havia doado mil dólares em apoio à Proposta 8 na Califórnia, uma iniciativa de voto que protegia o casamento tradicional.
Não se sabe quem foi que revelou que Eich havia apoiado o casamento tradicional. Mas isso realmente não importa. Logo que a doação dele foi revelada, os militantes do “casamento” gay lançaram uma guerra total.
Wall Street Journal noticiou que OKCupid, o popular site de namoro online, pediu a seus seguidores que parassem de usar o Firefox. A empresa wireless Credo Mobile coletou mais de 50 mil assinaturas numa petição pedindo que Eich se demitisse.
OKCupid havia postado uma carta denunciando o diretor da Mozilla, noticiou o New York Times.
“Aqueles que querem negar o amor e em vez disso executam miséria, vergonha e frustração são nossos inimigos e nós só desejamos uma coisa para eles: fracasso,” declarou a carta.
Por que não reivindicar que os que se opõem ao “casamento” gay percam o direto de possuir propriedade? Por que não tirar deles o direito de votar? Por que não tirar os filhos deles? Por que simplesmente não atirá-los numa cela de prisão? Por que não obrigá-los a fazer trabalhos forçados em algum campo penitenciário? Por que não pedir que eles sejam chicoteados em público? Ou melhor ainda, por que não amarrá-los numa maca e aplicar-lhes uma injeção letal para livrar o mundo desses intolerantes “fanáticos” anti-homossexualismo de uma vez por todas?
Traduzido por Julio Severo do artigo da revista Charisma: If You Don’t Support Gay Marriage, You Don’t Deserve a Job
Leitura recomendada:
Luta cristã pelo “direito” de praticar abominações?

Twitter: 
http://twitter.com/julioseveroTea Party Community: https://www.teapartycommunity.com/JulioSevero/Facebook: http://www.facebook.com/pages/Blog-Julio-Severo/185623904807430

Livro gratuito: http://bit.ly/11zFSqqNovo Testamento gratuito em mp3 dramatizado com música

Para fazer o download, siga este link:

http://juliosevero.blogspot.com/2012/12/novo-testamento-dramatizado-disponivel.html

Campo Grande, Mato Grosso do Sul - Cuidado com estes vereadores: vereador Paulo Pedra (PDT); Luiza Ribeiro (PPS), João Rocha (PSDB), Chiquinho Telles (PSD) e Waldecy Chocolate (PP) - Não merece os votos dos cristãos!

Vereadores pretendem denunciar pastor queniano ao MPF por “homofobia”

Perseguição contra evangélicos cresce em Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Julio Severo
Os vereadores de Campo Grande, Mato Grosso do Sul, pretendem denunciar o pastor queniano David Owuor, conhecido nos meios evangélicos por um ministério de profecias, por “homofobia” e “desrespeitar a Constituição brasileira,” porque durante culto no Parque das Nações Indígenas, o pastor da África criticou o pecado homossexual e o pecado de mulheres que usam saia curta.
Pr. David Owuor
Em 27 de março, um grupo, liderado pelo vereador Paulo Pedra (PDT), que é católico liberal, decidiu denunciar o caso ao MPF (Ministério Público Federal), que é o órgão competente para investigar estrangeiros.
O requerimento pedindo a investigação por “homofobia” e por desrespeitar o artigo 5º da Constituição Federal, que prevê liberdade individual, obteve o apoio dos vereadores Luiza Ribeiro (PPS), João Rocha (PSDB), Chiquinho Telles (PSD) e Waldecy Chocolate (PP).
Eles querem a investigação do pastor pentecostal por ter declarado que os homossexuais não vão herdar o Reino de Deus. O pastor, que reuniu 10 mil pessoas no Parque das Nações Indígenas, disse também que as moças não podem ir à igreja com saias curtas e calças apertadas.
Nada de “minissaias, calças apertadas, mentiras, falsidade, prosperidade, fumo e a bebida. Se esforcem para viver em paz com todos os homens e serem santos,” pregou ele, em estilo pentecostal clássico, para o público evangélico, que o aplaudiu e gritou “aleluia.”
O vereador Alceu Bueno (PSL), falando em nome da bancada evangélica da Câmara de Campo Grande, repudiou a atitude dos vereadores que estão perseguindo o pastor queniano.
“Não comungo com a ideia de cinco vereadores que estão pedindo investigação no Ministério Público Federal contra o queniano. Acho que pegaram a palavra dele fora do contexto. Ele só citou a Bíblia, que como todo o evangelho condena o homossexualismo,” afirmou Alceu Bueno.
Na sessão da próxima terça-feira (1 de abril), Bueno disse que vai pedir ao vereador Paulo Pedra que desista do requerimento contra o pastor pentecostal. “Se não pudermos abrir a Bíblia e dizer o que ela fala, vamos ter que rasgá-la,” argumentou o vereador evangélico.
Ao contrário do que considerou Pedra, para Bueno o pastor queniano “não foi infeliz, só citou a Bíblia.” Indagado pela imprensa sobre os versículos bíblicos que são contra o homossexualismo, o vereador do PSL citou Levítico 20:13: “Quando o homem se deitar com outro homem como se fosse mulher, ambos fizeram abominação diante do senhor”. Ele disse também que o Novo Testamento igualmente condena a homossexualidade, conforme Coríntios 6:9.
A bancada evangélica da Câmara é composta pelos vereadores Alceu Bueno (PSL), Elizeu Dionízio (SDD), Rose Modesto (PSDB), Flávio Cesar (PT do B) e Mario Cesar (PMDB).
Campo Grande tem se destacado por uma crescente perseguição aos evangélicos que assumem uma postura contra o pecado homossexual.
Em 2007, a Defensoria Pública de Campo Grande iniciou uma ação civil contra Náurio Martins França, autor do livro “A Maldição de Deus sobre o Homossexual: o homossexual precisa conhecer a maldição divina que está sobre ele.” Na época, o caso dele repercutiu no mundo todo, por recomendação minha, no portal pró-família internacional LifeSiteNews, através de uma matéria intitulada “Evangélico é censurado e multado por fazer comentários ‘homofóbicos’ em livro.”
Náurio Martins França
A sentença fora aplicada pelo juiz da Vara de Direitos Difusos Coletivos e Individuais, Dorival Moreira dos Santos. O magistrado, que havia determinado a retirada dos livros das bancas, ordenou que o escritor evangélico pague agora uma indenização de R$ 2 mil.
Ao entrar com a ação que proibiu o comércio do livro, a Defensoria Pública sustentou que a publicação tinha “conteúdo declarado preconceituoso homofóbico, transmite a ideia de que o homossexual é amaldiçoado por Deus.”
Náurio, negando que seu livro estaria incitando a violência contra homossexuais, declarou que a intenção era convertê-los à religião evangélica. A defesa do escritor sustentou que ele, ao escrever o livro, exercera o direito constitucional de liberdade de pensamento, opinião e religião.
Em sua decisão, o juiz Dorival dos Santos reconhece o valor dos direitos constitucionais citados pelo escritor, mas menciona outro trecho da Constituição, que trata da igualdade e dignidade da pessoa humana. Para ele, a homossexualidade está diretamente ligada à igualdade e dignidade da pessoa humana, sendo assim muito mais importante do que a liberdade de pensamento, opinião e religião.
Náurio, que é membro da Igreja Internacional da Graça em Campo Grande, teria mandado imprimir em torno de 600 livros. Trezentos exemplares foram confiscados por determinação judicial. O restante já havia sido vendido.
No mesmo ano, um grupo formado por GLBTs (Gays, Lésbicas, Bissexuais e Transgêneros) fez uma manifestação queimando um exemplar do livro de Náurio na frente da Igreja Internacional da Graça, localizada na Avenida Afonso Pena, sem que as autoridades vissem crime de ódio no ato.
Mesmo sem nenhuma lei no Brasil contra um “crime” neurótico de “homofobia” — termo interpretado por seus promotores neuróticos como qualquer contrariedade ao comportamento homossexual —, aumentam os casos de perseguição em outras partes do Brasil:
Com informações de Campo Grande News, Grande FM e MidiaMax.
Leitura recomendada: